0:00
0:00

Emissão em português - Presença da mulher no cinema ibérico e Mariene de Castro na Espanha - 14/09/17


Se sua vida desse um filme, já imaginou quem seria o realizador? Homem ou mulher? E o produtor, mulher ou homem? Possivelmente nem pensou nisso, o mais comum seria mesmo um homem, porque foi isso que a indústria do cinema nos habituou desde sempre. Justamente para pensar neste assunto, foi realizado em Lisboa o Simpósio Internacional "Women in Iberian Cinema", que pretende debater a presença da mulher portuguesa e espanhola no cinema. Atrizes, produtoras, realizadoras ou maquiadoras, entre muitas outras estão em destaque neste evento que se realizou no Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras e no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, numa parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian. A propósito disso, Joana Dias conversa com uma das organizadoras, Mariana Liz, para saber mais sobre a vida da mulher no cinema.
A soteropolitana Mariene de Castro tem 20 anos de estrada, mas foi nos Jogos Olímpicos que ela ganhou os olhos do mundo, quando cantou enquanto a chama olímpica era apagada. A intérprete esteve em Barcelona para cantar um Brasil onde moram a força e o sagrado. Mariene de Castro foi o destaque da programação do Día de Brasil. Mas em solo europeu, ela também tem viajado para apresentar seu mais recente projeto, Ribeirinha, uma ode à população que vive em condições precárias, à margem de qualquer proteção jurídica e que, mesmo assim, resiste bravamente e com um sorriso no rosto. A cantora conversa com Michelly Teixeira.